Quando Alvin Toffler e a cantora Pitty coincidem
domingo setembro 27, 2015 às 21:15 | Arquivado em: Notícias

OBSERVATORIO1

Texto de Marcos Fabrício Lopes da Silva para o Observatório da Imprensa:

Pitty chama a atenção para um detalhe importante: por trás de uma revolução digital, encontram-se retrocessos interpessoais. Considerando a advertência expressa pela cantora baiana, no reino da instrumentalização, a sociedade ganha em técnica e objetividade, ao mesmo tempo em que percebe as subjetividades mutiladas. Em termos práticos, uma subjetividade mutilada gera autômatos para o mercado de trabalho e potenciais psicopatas no convívio social. Cabe lembrar que as antigas narrativas, formadoras de modos de ser, agir e pensar, foram substituídas pelo cinema; as relações humanas, pelas redes sociais; a historiografia, pelos metadados; e a memória humana, pelo HD dos supercomputadores, atualmente demandando acondicionamento da ordem dos hexabytes! Enquanto o discurso informatizado e mercantilizado afirma que o mundo se uniu e as pessoas estão mais próximas do que nunca, assistimos perplexos à construção de muros entre as nações, às guerras de separativismo, ao ressurgimento do confronto ideológico entre potências e a uma exacerbação do comportamento agressivo no meio social à qual se dá o nome de violência gratuita.

Leia o texto completo aqui